Coronavírus é só uma gripe?

Você está ou alguém que mora com você está espirrando, com coriza, dor de garganta? A febre surgiu? Acompanhada de dor de cabeça ou dor no corpo? No dia seguinte está com falta de ar? Como saber se isso é um resfriado, gripe ou coronavírus?

Muitos de nós dizem que o coronavírus não é mais que uma gripezinha. Outros acreditam que é uma doença avassaladora mascarada por uma gripe. Daí que qualquer um que espirre ou tussa perto da gente, já provoca pânico. Se formos nós com qualquer um desses sintomas – coriza, tosse, dor de garganta, dor de cabeça, febre ou dores no corpo -, o pavor é ainda maior. Para piorar a confusão, a doença que pode virar uma pneumonia séria com sequelas e até risco de morte tem cara mesmo de gripe.

O fato é: para a grande maioria de nós, a infecção por coronavírus poderá passar desapercebida, como um resfriado comum ou nem chegar a isso e para outros pode ser fatal.   Tudo vai depender da capacidade do nosso sistema imunológico em lidar com a infecção. O sistema imunológico forte é a chave da questão e falaremos sobre isso em outro artigo. Independente disso, porém, devemos ter precaução com nossa saúde e, principalmente, com a dos outros que podem ter doenças crônicas que os colocam dentro do grupo de risco.

Exatamente por ser assintomático para muitas pessoas é que o coronavirus é mais perigoso. A pessoa acha que está bem, não respeita as medidas de isolamento e higiene, e espalha ainda mais a doença que tem um índice altíssimo de contágio. Coronavírus  passa de 1 para 3 pessoas, em média. Os outros vírus “comuns” infectam na proporção de 1 por 1. Isso implica na mudança do manejo de controle da epidemia e por isso se receita o difícil isolamento social.

No começo, a doença infectava por contato direto. Era preciso ter ido para o exterior ou ter estado com alguém que tivesse vindo contaminado do estrangeiro para pegar. Agora, acabou esse parâmetro. Já existe transmissão comunitária. Isso significa que não há mais como rastrear a fonte de infecção. O vírus já está entre nós, circulando livremente, e procurando morada.

Para que o coronavírus fique longe de você e da sua comunidade, é importante entender a diferença nos sintomas. Dessa forma, saberão as situações reais em que se deve buscar um serviço de saúde, o que fazer para melhorar seus sintomas e como não transmitir a doença aos mais vulneráveis; o grupo de risco.

O que é Síndrome Gripal ?

Síndrome Gripal = Febre de início súbito + 1 dos sintomas A + 1 dos sintomas B

O principal sintoma da síndrome gripal é a febre com temperatura medida pela axila acima de 37,8. Ela precisa vir acompanhada de pelo menos mais dois sintomas abaixo: um dos sintomas do grupo A e um sintoma do grupo B

A: Tosse, Dor de Garganta; Falta de Ar

B: Cefaléia (dor de cabeça) ou Dor no corpo (mialgia ou dor articular)

Tratamento em Casa

A maioria das pessoas com Síndrome Gripal, seja ela por coronavírus ou influenza ou outro vírus, terá melhora dos seus sintomas sozinhas, apenas com medidas naturais, como alimentação rica em frutas e hortaliças, sem alimentos industrializados, uma boa noite de sono e bebendo bastante água, um mínimo de 2 litros por dia.

Tratamento em Unidade de Saúde


Se a febre persistir por mais de 2 dias, ou seja, no terceiro dia de febre, é recomendado o deslocamento até uma unidade de saúde.

Se apresentar falta de ar ou dificuldade respiratória, você deve buscar IMEDIATAMENTE uma unidade de saúde.

Se precisa apenas do atestado médico para justificar uma ausência, deve ir à unidade de saúde mais próxima e pedir o atestado.

Medidas anticontágio

Qualquer pessoa com Sindrome Gripal deve obrigatoriamente ficar em casa, separar utensílios como copos, talheres e copos para uso pessoal, tossir ou espirrar cobrindo a boca com pano ou lenço de papel, trocar de roupa diariamente, intensificar o isolamento e evitar contato próximo com pessoas do grupo de risco pelo período de 14 dias.

Se for diagnosticado com coronavírus, as medidas descritas acima devem ser feitas com muito mais empenho e determinação sendo que a pessoa deve sair de perto de pessoas que pertençam ao grupo de risco.

Conclusão

Se você teve apenas um espirro ou o nariz está escorrendo ou está com tosse, isso não é suficiente para buscar um médico.  Se você teve mais que 2 sintomas do grupo A ou B em conjunto com febre, procure um médico. Se tiver dificuldade para respirar, vá imediatamente para uma unidade de saúde.

Entendeu como é importante conhecer esses sintomas para evitar idas desnecessárias às unidades de saúde? Assim não haverá sobrecarga do sistema de saúde pública dificultando o acesso àqueles que realmente precisam, nem aumentará a chance de contágio.

Continue acompanhando os posts, comente, compartilhe e evolua esse conhecimento  com a gente.

No próximo artigo falarei sobre formas naturais de melhorar os sintomas da Síndrome Gripal, evitando a sua gravidade.

Está Gostando? Compartilhe esse conteúdo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O que é Síndrome Gripal - Coronavírus ou Influenza?

A Síndrome gripal é geralmente constituída por:

- Febre de início súbito (temperatura axilar acima de 37,8 graus ou maior) - Tosse ou dor de garganta
- Coriza
- Congestão nasal
- Dor de cabeça (cefaléia)
- Dor no corpo (mialgia ou dor articular)
- Sintomas gastrointestinais, como diarreia (mais raros)

Tratamento em Casa
A maioria das pessoas com Síndrome Gripal, seja ela por coronavírus ou influenza ou outro vírus, terão melhora dos seus sintomas sozinhas, apenas com medidas naturais, como alimentação rica em frutas e hortaliças, sem alimentos industrializados, uma boa noite de sono e bebendo bastante água, um mínimo de 2 Litros por dia.
Tratamento em Unidade de Saúde
Se a febre persistir por mais de 2 dias, ou seja, no terceiro dia de febre, é recomendado o deslocamento até uma unidade de saúde.  
Se  apresentar falta de ar ou dificuldade respiratória, você deve buscar IMEDIATAMENTE uma unidade de saúde.
Se precisa apenas do atestado médico para justificar uma ausência, deve ir à unidade de saude mais próxima e pedir o atestado.
Medidas anticontágio
Qualquer pessoa com Sindrome Gripal deve obrigatoriamente ficar em casa, separar utensílios como copos, talheres e copos para uso pessoal, tossir ou espirrar cobrindo a boca com pano ou lenço de papel, trocar de roupa diariamente, intensificar o isolamento e evitar contato próximo com pessoas do grupo de risco pelo período de 14 dias.  
Se for diagnosticado com coronavírus, as medidas descritas acima devem ser feitas com muito mais empenho e determinação sendo que a pessoa deve sair de perto de pessoas que pertençam ao grupo de risco.
Conclusão
Se você teve apenas um espirro ou o nariz está escorrendo ou está com tosse, isso não é suficiente para buscar um médico.  Se você teve mais que 2 sintomas do grupo A ou B em conjunto com febre, procure um médico. Se tiver dificuldade para respirar, vá imediatamente para uma unidade de saúde.
Entendeu como é importante conhecer esses sintomas para evitar idas desnecessárias às unidades de saúde? Assim não haverá sobrecarga do sistema de saúde pública dificultando o acesso àqueles que realmente precisam, nem aumentará a chance de contágio.
Continue acompanhando os posts, comente, compartilhe e evolua esse conhecimento  com a gente.

Quando buscar auxílio médico por causa do coronavírus?

A maioria das pessoas com Síndrome Gripal, seja ela por coronavírus ou influenza ou outro vírus,  vão ter melhora dos seus sintomas sozinhas, apenas com medidas naturais, como alimentação rica em frutas e sem alimentos industrializados, uma boa noite de sono e bebendo bastantes água, um mínimo de 2 Litros por dia. 

Mesmo assim, para garantir que esteja tudo bem, se a febre persistir por mais de 2 dias, ou seja, no terceiro dia de febre, aí sim está recomendado o deslocamento até uma unidade de saúde.  

Você deve buscar uma unidade de saúde imediatamente se  apresentar falta de ar ou dificuldade respiratória.

O que é Transmissão comunitária do Coronavírus?

Quando em uma epidemia um local atinge o status de transmissão comunitária, não há mais rastreabilidade da fonte de infecção. Quando antes a definição de um caso suspeito partia do princípio do paciente com sintomas ter viajado à áreas de transmissão local, fora do país ou ter tido contato com um caso de coronavírus positivo,  agora, se perdeu esse parâmetro.  

Isso implica na mudança do manejo de controle da epidemia.

Em uma localidade onde o status da epidemia do coronavírus está em transmissão comunitária. Não é possível rastrear a fonte da infecção.

Continue acompanhando os posts, comente, compartilhe e evolua esse conhecimento com a gente.

O próximo artigo falarei sobre formas naturais de melhorar os sintomas da Síndrome Gripal, evitando a sua gravidade.

Inscreva-se na nossa lista VIP. 

Gostou? Compartilhe esse conteúdo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Escrito pela Dra. Suellen Vieira Araujo

Confio na capacidade inata do corpo humano de curar-se. Este maravilhoso corpo humano, com uma mente inteligente e disciplinada, munida de conhecimento, será capaz de se manter saudável e equilibrado, sozinho, com autonomia e sustentabilidade.

Conhecimento para manter a saúde por mais tempo?
Inscreva-se na nossa lista VIP. 

Conheça medicina integrativa centrada no bem-estar humano

Dúvidas, críticas ou elogios? Deixe seu comentário!!

Deixe uma resposta

Artigos que você vai gostar de ler