Para que serve a Vitamina D? Melhor oral ou injetável?

A vitamina D, que na verdade é um hormônio, tem múltiplas funções no corpo, ela tem ação antiinflamatória e imunomoduladora e justamente por atuar no sistema imune, durante a pandemia do coronavírus, ficou ainda mais famosa! 

Ela é importante para o metabolismo ósseo e também atua no sistema cardiovascular, renal, digestivo, nervoso, endócrino e reprodutor.

Para a nossa longevidade, em pessoas saudáveis, sabemos que precisamos garantir nossa reserva de vitamina D,  de preferência por métodos naturais, a partir da energia do sol e alimentos, preferencialmente entre 40 e 50 ng/mL.  Contudo, a Vitamina D prescrita em altas doses também exerce um efeito terapêutico nas pessoas que já estão doentes.  E são crescentes os estudos que mostram que doses fisiológicas e até megadoses de vitamina D agem positivamente no tratamento  de diversas doenças.

Como hoje qualquer pessoa pode comprar vitamina D e suplementar sem prescrição médica,  é importante lembrar  que a suplementação  de Vitamina D a longo prazo também tem riscos. E por isso é importante realizar o monitoramento de biomarcadores  relacionados à toxicidade e metabolismo da Vitamina D.

Caso você não tenha um médico de sua confiança, eu realizo consultas no Rio de Janeiro e também via telemedicina, no qual poderei te auxiliar de maneira individualizada.  Mais informações através do whatsapp (21) 990922975 ou acessando a página onde explico mais como funciona minha consulta online.

 Dra Suellen Vieira Araujo (CRM-RJ 95182-0)
 

Neste artigo você vai aprender mais sobre a vitamina D para utilizá-la de forma segura! 

Vitamina D - Quem deve suplementar

Está Gostando? Compartilhe esse conteúdo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Quem tem maior risco para deficiência por Vitamina D?

Quem tem maior risco de estar carente de vitamina D são as pessoas que se enquadram nas situações abaixo:

  1. Pessoas que têm a diminuição da conversão de Vitamina D na pele,  seja pela exposição solar reduzida ou pelo uso de filtro solar.
  2. Quem tem a diminuição da biodisponibilidade da Vitamina D, como nas doenças que interferem na absorção intestinal (doenças inflamatórias intestinais) ou na obesidade, em que a vitamina D fica armazenada na gordura.
  3. Em gestantes e principalmente mulheres que estão amamentando, pois a demanda de Vitamina D está alta devido a produção do leite.
  4. Pessoas que tomam medicamentos que interferem no metabolismo da Vitamina D, como antiepilépticos, antirretrovirais e glicocorticóides.
  5. Portadores de doenças como tuberculose e sarcoidose, doença hepática e renal grave.

Estudos  indicam que a deficiência de Vitamina D está relacionada com câncer,  doença cardiovascular, diabetes, obesidade, esclerose múltipla, distúrbios psiquiátricos e doenças neuro-musculares. 

No meu consultório tenho disponível para o paciente o teste rápido para deficiência de Vitamina D. Este teste é capaz de detectar valores sanguíneos inferiores a 30 ng/mL. Assim a terapia de reposição pode ser imediatamente prescrita.    

No consultório, eu utilizo a suplementação de  Vitamina D por via oral ou intramuscular. A terapia injetável intramuscular garante uma maior  biodisponibilidade do nutriente, sendo mais eficiente para acelerar a reposição em casos de deficiência de Vitamina D.

A tabela abaixo mostra as principais causas de de deficiência em vitamina D:

 
Vitamina D Risco de deficiência
Fonte: A importância clínica da vitamina D 2015, quem quer estudar mais, vale ler essa dissertação sobre a vitamina D https://bdigital.ufp.pt/bitstream/10284/5301/1/PPG_27959.pdf

Quais alimentos são fonte de Vitamina D?

Apenas 20% da Vitamina D vem da alimentação, o restante da Vitamina D é gerada pela conversão do derivado de colesterol em vitamina D, na pele. Isso a torna diferente das outras vitaminas lipossolúveis (A, E e K), cuja principal fonte é a alimentação. No entanto, em caso de deficiência, é importante considerar os riscos X benefícios de obter a Vitamina D de origem animal. Exemplo de alimentos fonte de Vitamina D: o óleo de fígado de bacalhau, salmão e  sardinha e cogumelos shiitake.

 
Alimentos fonte de Vitamina D, Fonte: A importância clínica da vitamina D 2015, quem quer estudar mais, vale ler essa dissertação sobre a vitamina D https://bdigital.ufp.pt/bitstream/10284/5301/1/PPG_27959.pdf
Terapias Nutricionais Injetáveis

O Up que você precisava para um estilo de vida saudável

Com as terapias nutricionais injetáveis você recebe vitaminas, minerias, aminoácidos e antioxidantes por via endovenosa ou intramuscular.

Quais são os riscos e efeitos colaterais da suplementação de Vitamina D

A suplementação de altas doses de vitamina D podem prejudicar, por exemplo, a função renal. Um estudo relata o caso de um homem que teve piora da função renal suplementação por mais de 2 anos de 8 a 12 mil unidades/dia.

A hipervitaminose D aumenta também o cálcio no sangue que aumenta a chance de cálculos renais e arritmias.  

Isso é um alerta, especialmente nesse período de pandemia, para que quem esteja usando vitamina D, informe ao seu médico para que ele possa identificar potenciais danos à saúde relacionadas à suplementação de Vitamina D a longo prazo. 

Como é o tratamento da deficiência de Vitamina D?

A dose prescrita de vitamina D depende do risco de deficiência, da idade do paciente e se há e da doença diagnosticada, a dose, inicialmente prescrita de Vitamina D oral varia de 1000 a 10.000 UI.  Ela é idealmente feita em associação com outras vitaminas lipossolúveis, pois tem efeito sinérgico.  Por via intramuscular a dose de vitamina D varia de 100.000 a 600.000UI.


Como a vitamina D tem benefício na doença cardiovascular, osteoporose, 
obesidade, doenças auto-imunes entre outras, o paciente com valores de vitamina normais, mas no limite inferior da referência,  ainda podem se beneficiar do tratamento complementar com a Vitamina D.  

Na Clínica de Longevidade, a consulta de nutrologia é o serviço indicado para quem deseja tratar a deficiência de Vitamina D e ou quem já tem uma doença associada à deficiência do nutriente e deseja descobrir se há um benefício do tratamento complementar com a vitamina.

A consulta de nutrologia pode ser feita presencialmente ou por telemedicina e contempla dois profissionais: uma consulta médica integrativa  e uma consulta com nossa nutricionista.

Na consulta médica, serão solicitados exames de sangue, feita a avaliação de fatores de risco para deficiência de Vitamina D e, havendo sintomas compatíveis,  já é iniciada a prescrição de suplementação oral de Vitamina D3.

A prescrição oral é mais eficiente quando manipulada em veículo oleoso, como azeite de oliva ou óleo de girassol, em gotas.  Também é feita, em associação a suplementação de micronutrientes importantes para o metabolismo de Vitamina D, como a vitamina B e magnésio.

Adicionalmente, como atitude sustentável,  informamos métodos sustentáveis de adquirir Vitamina D, a partir da exposição solar saudável e segura.

Na avaliação nutricional, nossa nutricionista avalia a ingesta alimentar e auxilia o paciente a complementar a reposição de Vitamina D a partir de uma dieta balanceada e de acordo com os preceitos da Clínica de Longevidade. 


De acordo com a doença e a dosagem da vitamina D prescrita,  o acompanhamento clínico e laboratorial deve ser realizado com intervalos entre 2 a 6 meses, enquanto for necessária a suplementação.  

 

Quais exames laboratoriais (biomarcadores) são necessários para monitorar a suplementação de Vitamina D?

Assim, além, claro de manter os níveis de Vitamina D abaixo de 100ng/ml,  é importante avaliar a função do rim, incluindo a microalbuminúria em amostra isolada, a função do fígado,  dosar também o paratormônio, o cálcio ionizado e, principalmente em casos em que há história de cálculo renal, dosar o cálcio urinário.  O monitoramento de biomarcadores como esses é um dos pilares da Clínica de Longevidade.  E isso minimiza os riscos, potencializando os benefícios de um tratamento com altas doses de Vitamina D. 

Para conhecer mais como eu posso te ajudar,  inicie com a minha avaliação online e gratuita,  clincando aqui ou via whatsapp 21 990922975

Referencias:
https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-28002020005009203&script=sci_arttext&tlng=pt

https://www.cmaj.ca/content/191/14/E390

 
 
 

Gostou? Compartilhe esse conteúdo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Escrito pela Dra. Suellen Vieira Araújo (CRM-RJ 95182-0 | CRM-ES 1712-3)

Confio na capacidade inata do corpo humano de curar-se. Este maravilhoso corpo humano, com uma mente inteligente e disciplinada, munida de conhecimento, será capaz de se manter saudável e equilibrado, sozinho, com autonomia e sustentabilidade.

Terapias Nutricionais Injetáveis

O Up que você precisava para um estilo de vida saudável

Com as terapias nutricionais injetáveis você recebe vitaminas, minerias, aminoácidos e antioxidantes por via endovenosa ou intramuscular.

Dra. Suellen Vieira Araújo (CRM-RJ 95182-0)

Conhecimento para manter a saúde por mais tempo?
Inscreva-se na nossa lista VIP.