fbpx

Terapia de Quelação com EDTA na desintoxicação de Metais Pesados

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Você já deve ter ouvido falar sobre intoxicação por metais pesados e o impacto disso na saúde, não é? Agora, pouco menos conhecida, embora já utilizada desde a década de 1950, a terapia de quelação com EDTA é uma forma de remoção desses metais tóxicos. Você já ouviu falar? Quer conhecer mais sobre o assunto?

Neste artigo você vai conhecer sobre Terapia de Quelação:

O que é quelação de metais pesados e teste provocativo de EDTA?

Quais são os metais pesados que podem ser absorvidos pelo corpo humano?

A poluição ambiental, agrotóxicos e pesticidas, produtos cosméticos como esmaltes, batons e tintas para cabelo, além de amálgamas dentárias, são algumas das fontes de intoxicação a que estamos frequentemente expostos.

Alguns exemplos de metais pesados capazes de intoxicar o corpo humano são:

  • Chumbo
  • Mercúrio
  • Arsênio
  • Alumínio
  • Níquel
  • Cádmio

Contudo, até metais importantes para o corpo, como o zinco e o cromo, diante de uma suplementação excessiva, podem se acumular e trazer prejuízo para a saúde. Atualmente, isso é bem fácil de acontecer, com o consumo indiscriminado de suplementos alimentares.

Agora, se isso é tão importante, por que quase nenhum médico fala a respeito? Será este mais um boato para assustar a todos nós?

Meu intuito com esse post não é alarmar, mas sim trazer a atenção e compartilhar com você minha opinião sobre um tema de fundamental importância que contribui para o adoecimento do corpo humano.

Quais as doenças relacionadas aos metais pesados?

Ao decorrer da vida, os metais pesados se acumulam nos tecidos do corpo humano. Com a sobrecarga destes elementos, o correto funcionamento dos órgãos é prejudicado, já que os metais pesados passam a agir como toxinas que predispõem ao surgimento de doenças.

Apenas para exemplificar, a presença do arsênio no organismo interfere no mecanismo de reparo do DNA e no metabolismo energético mitocondrial. Ambos são processos biológicos que, se defeituosos, são associados a doenças crônicas.

São crescentes as informações em literatura médica sobre a intoxicação por metais pesados e doenças como a hipertensão arterial, diabetes e Alzheimer: as concentrações sanguíneas de chumbo, mercúrio e arsênio estão mais aumentados na população com hipertensão arterial do que na população saudável. Já sobre o Alzheimer, cientistas produzem alterações em cobaias ao intoxicá-las com alumínio.

À medida que vamos avançando em conhecimento, é importante desenvolver tecnologias para minimizar a exposição crônica a esses metais, bem como pesquisar formas eficientes de reduzir a sobrecarga atual. Como este tema é ainda é pouco discutido na medicina convencional, interessados no assunto devem pesquisar na literatura médica já publicada.

Como diagnosticar o excesso de metais pesados no corpo?

Para diagnosticar o excesso de metais pesados no corpo, primeiramente, você deve dosar os metais no sangue venoso. Este é um exame geralmente coberto pelos planos de saúde.

Dosagens do metal tóxico aumentadas no sangue sugerem uma exposição atual que, quando na presença de sintomas relacionados, vão sugerir o diagnóstico de uma intoxicação aguda. Isso é mais comum em exposição ocupacional (pessoas que trabalham com os contaminantes).

Contudo, se você não tem uma história clara de exposição de metais pesados, e se sua exposição ambiental não for grande, é bem provável que seu exame esteja dentro da referência considerada “normal”. Isto exclui a intoxicação aguda por metal pesado, mas ainda não exclui a intoxicação crônica.

Note que o ideal, quando se trata de um veneno (o metal pesado) seria ele não ser detectado no exame de sangue. Contudo, diante da exposição ambiental que todos nós temos, convencionou-se um valor aceitável de metais tóxicos. À medida que mais estudos forem publicados e a comunidade científica der mais atenção a isso, é provável que os valores referenciais sanguíneos de metais tóxicos também se alterem.

É por isso que, caso você apresente algum sintoma, mesmo que seus exames sanguíneos estejam dentro das referências normais, meu papel é pesquisar se já existe algum relato em literatura médica da associação do sintoma ou doença em questão à intoxicação por metais pesados para seguirmos para o próximo passo, que é dosar os metais na urina a partir de um teste provocativo.

Terapia de quelação
O que é teste provocativo de EDTA?

O teste provocativo com EDTA é um método de aumentar a excreção do metal na urina, auxiliando no diagnóstico da intoxicação crônica do metal pesado.

Não existe um consenso médico na realização desse teste, tampouco ele é recomendado na medicina convencional. Contudo, o teste provocativo tem sido utilizado na experiência clínica de médicos e informado também em publicações médicas.

O EDTA é um composto químico que é utilizado desde a década de 1950 na medicina, convencionalmente para tratar intoxicação aguda por chumbo. O EDTA é também utilizado amplamente na indústria cosmética e alimentícia como conservante e tem afinidade com outros metais pesados.

No teste provocativo, o EDTA é infundido por via endovenosa, juntamente com vitaminas e minerais, por cerca de 50 minutos. Após um tempo preestabelecido, que pode variar de 3 a 24 horas de acordo com o método, a urina é coletada e levada em um laboratório comum para análise dos metais tóxicos.

O EDTA remove o metal tóxico que estava armazenado nos tecidos. Portanto, através do teste provocativo, vamos ter uma melhor noção de quais metais estão em maior quantidade para assim propor uma forma de sua remoção.

Eu, particularmente, tenho sugerido realizar o teste provocativo de EDTA com atividade física. Meu objetivo é aumentar a sensibilidade do teste e, portanto, a eficácia na retirada dos metais pesados. Desta forma, também se aproveita o aumento da perfusão tecidual provocada durante a atividade física.

Assim, quando é possível, incluo a atividade física aeróbica durante o tempo de coleta da urina e aumento a quantidade de líquidos ingeridos. É importante também evitar peixes e frutos do mar na semana que antecede ao teste, uma vez que os frutos do mar podem ser fontes de intoxicação principalmente de mercúrio.

O que são Terapias Integrativas?

Possibilidade de recuperar sua saúde quando o convencional não é suficiente

Às vezes você está fazendo tudo que está no seu alcance e mesmo assim os desconfortos que te impedem de ter uma vida plena ainda estão aí. Nesta hora que é preciso buscar novas referências e possibilidades coerentes com os mecanismos de funcionamento do corpo humano. ​

O que são agentes quelantes e a Terapia de Quelação?

Uma molécula que tem capacidade de unir-se ao metal, removendo-o dos tecidos e facilitando a eliminação do metal tóxico é chamando de agente quelante. Daí o nome de terapia de Quelação. O EDTA é o mais comum, mas existem outros como DMSA e DMSO.

Ao realizar, portanto, uma terapia de quelação, estamos removendo os metais pesados dos tecidos e os eliminando da urina. E a prova real de que esses metais estão sendo eliminados em grande quantidade é a dosagem destes na própria urina, a partir de uma análise laboratorial.

Existem algumas formas conhecidas de quelar. O EDTA é a mais comum e mais pesquisado deles, e pode ser utilizada não apenas por via endovenosa, mas também por via oral.

Existem outras formas também conhecidas e utilizadas nas terapias alternativas como desintoxicação de metais pesados. Diferente do EDTA que, apesar de controverso, já tem algo publicado em literatura médica, outras terapias são bem menos documentadas ou mesmo estão totalmente fora da literatura médica oficial. Para fins de conhecimento, veja algumas delas aqui.

Utilizadas como terapêutica: 

  • Zeolita;
  • Tintura de coentro;
  • Homeopatias;
  • Footdetox;
  • Dispositivos frequenciais como o RIFE machine

Utilizados como métodos diagnósticos alternativo:

  • Biorressonância;
  • Radiestesia;
  • B-dort.

Não desmereço nenhum deles, contudo, o mais importante é você compreender o atual status científico da recomendação de cada terapia e analisar o custo benefício para assim decidir se deseja ou não utilizá-las.

Para quem está indicado o teste provocativo com EDTA e terapia de quelação?

É bem provável que todos nós estejamos expostos à intoxicação por metais pesados. Este pode ser o caso de qualquer pessoa com doença crônica em uso de medicamentos para o resto da vida. O mesmo pode-se dizer em relação a pessoas com sintomas inexplicáveis e que não melhoram com mudanças de hábitos e estilo de vida. É coerente pensar, apesar da ausência de evidências robustas, que há um potencial benefício em reduzir a sobrecarga de metais pesados do corpo.

O teste provocativo de EDTA e a terapia de quelação se tornam ainda mais interessantes quando existe uma relação já documentada em literatura médica sobre a intoxicação por metais pesados e alguma doença. Estes são os casos da hipertensão arterial, diabetes e Alzheimer, como já mencionei anteriormente.

Por isso eu sempre pesquiso essas associações nos casos específicos das pessoas interessadas na terapia de quelação e disponibilizo esse conhecimento através do Relatório de Longevidade. O relatório ou uma consulta médica é o mínimo requerido para que eu aceite realizar um teste provocativo ou a terapia de quelação em alguém interessado.

Existem também pessoas saudáveis que me procuram para realizar o teste provocativo de EDTA. Eu mesma, que sou saudável, também já fiz o teste. Para minha surpresa, encontrei grandes quantidades de metais pesados na minha urina. Isso é só mais uma constatação de que estamos realmente vivendo em um ambiente tóxico.

Diante do exposto, o que fazer a partir dessa informação é escolha de cada indivíduo. Eu valorizo a autonomia através do conhecimento. No meu caso, como não tenho doença alguma, eu prefiro optar por pesquisar métodos não invasivos e alternativos para reduzir essa sobrecarga de metais tóxicos identificada no meu teste provocativo de EDTA.

O teste provocativo já é uma terapia de quelação em si, e utilizo a dosagem urinária como biomarcador de intoxicação por metais pesados. Ao mensurá-lo, eu irei monitorando o progresso das minhas tentativas desintoxicação.

Ao menos em teoria, reduzir a sobrecarga de metais pesados vai aumentar nosso tempo de saúde. Apesar de não haver evidência científica suficiente para um médico indicar de forma generalizada estes procedimentos, diante das informações disponíveis, eu prefiro fazer em mim e compartilho minha opinião com você. Com conhecimento, autonomia e responsabilidade pelas suas ações, você é quem vai julgar o que deseja ou não para a sua saúde e vida.

Conclusão

Aquilo que chamamos de evidências científicas são associações feitas a partir de estudos em animais, estudos in vitro, estudos observacionais, ensaios clínicos e a análise estatística de diversos estudos feitos anteriormente. Fica claro que existe um grande empenho e trabalho para provar algo cientificamente.

No caso dos metais pesados, estamos ainda “engatinhando”. Contudo, a terapia de quelação com EDTA foi testada pelo NIH, órgão público americano. O resultado mostrou uma redução de 40% na recorrência de eventos cardiovasculares e mortalidade em pacientes diabéticos acima de 50 anos que tiveram infarto anterior.
Ainda assim, o próprio NIH indica que tal estudo ainda não é suficiente para recomendar a terapia de quelação para qualquer paciente similar. O órgão sugere que mais estudos sejam feitos sobre o assunto.

Se você é uma pessoa saudável, ou seja, mantém um completo estado de bem-estar e não tem nenhuma doença de diagnóstico médico, saiba que mesmo assim você também deve estar contaminado(a) com metais pesados, pois eles estão em todas as partes. Eu já dosei o meu e também estou! E isso não é motivo de alarme. É, na verdade, um sinal de que o corpo está se adaptando bem à exposição ambiental. Aliás, capacidade adaptativa é o que precisamos desenvolver para sobreviver neste ambiente que criamos. Esta é a seleção natural que aprendemos na teoria de Darwin.

E enquanto isso? Enquanto isso eu continuo escrevendo a minha opinião e atualizando minhas pesquisas à medida que mais pessoas se interessem por este conteúdo. Esta é a liberdade e autonomia que temos para evoluir em conhecimento, com inteligência e racionalidade.

Neste artigo, eu apresentei a você os reflexos da concentração de metais pesados no corpo humano. Expliquei também sobre a terapia de Quelação com EDTA como meio de tratamento.
Se este conteúdo foi útil para você, o compartilhe e ajude outras pessoas a alcançarem a saúde e a longevidade. Se você ficou com dúvidas ou se quiser deixar sua opinião, comente aqui embaixo. Continue acompanhando o blog para mais posts sobre saúde e bem-estar e terapias inovadoras.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Dra Suellen Vieira Araujo

Escrito pela Dra. Suellen Vieira Araujo

Confio na capacidade inata do corpo humano de curar-se. Este maravilhoso corpo humano, com uma mente inteligente e disciplinada, munida de conhecimento, será capaz de se manter saudável e equilibrado, sozinho, com autonomia e sustentabilidade.

[Quiz] Como está a sua qualidade de vida?

Você sabia que é possível mensurá-la?

Descubra

Receba no seu e-mail os melhores conteúdos sobre Longevidade Sustentável

Artigos recentes

Fechar Menu

Finalize o cadastro para receber mais informações.